Nasci em Areia Branca em 1953 e mudei-me para Fortaleza em 1963, com 10 anos de idade. Por este motivo minhas lembranças são vagas e muita coisa eu tenho conhecimento através de estórias contadas por pessoas mais velhas ou amigos que por lá ficaram.

Lembro-me que tínhamos por vizinhos de um lado o Cine Miramar, e do outro lado o casal Sr. Antônio Calazans e Dona Julinha, êle que foi prefeito da cidade. Tínhamos bastante aproximação com eles, não somente pela vizinhança mas também pela amizade que meus pais tinham por eles. Tenho muito nítida a lembrança de conversas à noite com as cadeiras colocadas na calçada, costume aliás muito comum por lá. Quase todo mundo à noite ia para as calçadas bater papo e fazer hora enquanto a luz não apagava, pois o gerador desligava às 22 horas. Enquanto os adultos conversavam, as crianças se divertiam na rua.

Conta minha mãe que quando Marco Aurélio, meu irmão, nasceu, Dona Julinha foi visitá-la e ao ver a criança exclamou na maior inocência: “Vixe, Dona Nenen, nunca vi um menino tão feio!!!!”

Até hoje rimos dessa estória.

Anúncios