Areia Branca vivia uma época marcada por intensas greves. Foi no pós-guerra, quando a democracia, vitoriosa, apoiou os movimentos reivindicatórios, adormecidos durante a ditadura Vargas.
A Salinésia, cidade tipicamente operária, tinha fortes sindicatos. O dos marítimos, por exemplo, carro-chefe em meio a essa transformação social, exercia certa influência sobre os demais como o dos salineiros e o dos estivadores. (Primeiro parágrafo de uma 
crônica de Francisco Rodrigues da Costa. Leio a íntegra em http://www.gazetadooeste.com.br/16_maio_07/opiniao.htm.